Internacional

500 pessoas foram resgatadas de escola islâmica onde eram violadas e torturadas

 "Passei três meses aqui com correntes nas pernas", declarou uma das vítimas.

Cerca de 500 homens e crianças foram resgatados de uma escola islâmica, na cidade de Kaduna, no norte da Nigéria, esta sexta-feira, onde sofriam abusos sexuais e eram torturados. 

As autoridades locais afirmam que entre os detidos há varias crianças com menos de cinco anos. Apesar de ser uma escola islâmica, algumas pessoas começaram a aperceber-se de atividades suspeitas no local e decidiram avisar as autoridades, que iniciaram uma investigação. 

Depois das descobertas, as autoridades apelidaram o local de "uma casa de tortura". As vítimas, desnutridas, foram encontradas algemadas e muitas apresentavam ferimentos graves, como ferimentos de chicotadas nas costas.

 Em declarações às autoridades, estas disseram ter sido torturadas, abusadas sexualmente, proibidas de comer e impedidas de sair do establecimento escolar. "Passei três meses aqui com correntes nas pernas", declarou uma das vítimas. "Este deveria ser um centro islâmico, mas tentar fugir daqui atrai punições severas; eles amarram as pessoas e as penduram no teto por isso", conta outro à imprensa local, citada pela BBC. 

Oito suspeitos, na sua maioria professores da escola, foram presos por agressão sexual e prática de tortura. Esta não é a primeira vez que as autoridades da Nigéria descobrem atividades suspeitas em escolas islâmicas da região. Os casos mais conhecidos são situações em que os professores obrigam os alunos a pedir dinheiro nas ruas.