Internacional

Parlamento europeu rejeita comissários da Roménia e da Húngria

O voto surge após o comité legal do Parlamento europeu rejeitar ambos os candidatos por "conflito de interesses", dado que são suspeitos de corrupção.

Os deputados europeus votaram contra dois potenciais comissários europeus propostos pela Húngria e pela Roménia, e apresentados pela presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen. O voto surgiu após a rejeição das duas candidaturas pelo comité legal do Parlamento europeu, que mencionou um alegado “conflito de interesses”.  

A candidata romena, Rovana Plumb, estava proposta para comissária dos transportes, enquanto o húngaro László Trócsányi  estava indicado para a pasta do alargamento da União Europeia e das relações com países vizinhos da União. Plum foi rejeitada devido a dois empréstimos suspeitos de estarem relacionados com corrupção. Já Trócsányi, um antigo ministro da Justiça do Governo de Viktor Orban, é acusado de quebrar a lei por aceitar que a sua firma de advogados aceitasse contratos estatais.   

Após a rejeição do Parlamento europeu, Von der Leyen pediu novos nomes tanto à Roménia como à Húngria, tendo um porta-voz da presidente da Comissão salientado que estes “devem ser adequados às pastas”. O porta-voz acrescentou: “Se algo não encaixar, poderemos ter de pedir novos nomes”.