Sociedade

Portugal teve mais de 41 mil hectares de área ardida em 2019

No total, 50% da área ardida correspondia a povoamento florestal, 38% a mato e 11% a terrenos agrícolas. 

DR  

Segundo dados provisórios do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), até ao início do dia de hoje os incêndios rurais tinham consumido uma área de 41 017 hectares, num total de 10 362 ocorrências.

De acordo com a mesma fonte, cerca de 50% destes mais de 41 mil hectares ardidos correspondem a povoamentos florestais, 38% a zonas de mato e 11% a terrenos agrícolas.

Recorde-se que na segunda-feira o Governo prolongou o período crítico de incêndios até ao próximo dia 10 de outubro, no âmbito do Sistema de Defesa da Floresta Contra Incêndios. O motivo deste prolongamento  foi a previsão de tempo seco e quente para estes primeiros dias de outubro.

Segundo um despacho o secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Miguel Freitas, publicado em Diário da República, “as circunstâncias meteorológicas prováveis para os primeiros 10 dias do mês de outubro”, bem como as temperaturas e a fraca ocorrência de chuva, estão na base desta decisão.

Em 2018, até 15 de setembro, contabilizaram-se 9725 incêndios rurais e 38 223 hectares de área ardida, um dos valores mais baixos dos últimos anos, em linha com o que se verificou este verão. Os números ficam muito abaixo do balanço trágico de 2017, quando os incêndios florestais fizeram 111 vítimas mortais e consumiram mais de 400 mil hectares.