Internacional

Mãe negava água e comida a filho de dois anos que espancou até à morte

Criança estava extremamente desidratada e desnutrida.

Uma mulher, de 29 anos, foi condenada a prisão perpétua por espancar e deixar morrer à fome o filho de dois anos, no estado norte-americano de Luisiana.

O crime remonta a setembro de 2017. Twyena Thomas matou o filho, Chase Thomas, que se encontrava extremamente desnutrido e desidratado, com 15 pancadas na cabeça. Depois das agressões, a mulher deixou a criança morrer sozinha no seu quarto.

As autoridades encontraram depois o menino já sem vida na cama da mãe.

Antes de condenar a mulher à pena de prisão perpétua, esta segunda-feira, a juiza referiu que esta não merecia uma “pitada de misericórdia”. Além disso, disse ainda que Twyena Thomas se trata de um “monstro” que falhou na missão de amar e proteger o filho durante a sua curta vida.

"Em vez de ser objeto de sua afeição, ele foi objeto da sua crueldade, raiva, tortura e tormento", disse a juíza Danielle Taylor, citada pela imprensa norte-americana.

A acusação referia ainda que além de espancar a vítima, a mulher negou-lhe água e comida, enquanto fazia refeições com os outros filhos e até partilhava imagens das mesmas no Facebook.

"Eu gostaria de poder exigir que a foto do corpinho ‘quebrado’ do Chase ficasse na sua cela todas as manhãs... e não haveria como escapar da evidência da sua própria crueldade", disse a juíza ao condenar a mulher.