Internacional

Trump sugeriu que se disparasse nas pernas dos migrantes

New York Times revelou excerto de livro polémico com testemunhos sobre o ataque de Trump à migração.

Donald Trump terá sugerido que se disparasse para as pernas dos migrantes que chegam à fronteira para “desacelerá-los”. A revelação foi feita esta quarta-feira pelo New York Times, que publicou um excerto do livro Border Walls: Inside Trump’s Assault on Immigration.

O Presidente dos Estados Unidso chegou a recomendar publicamente que as tropas disparassem sobre os migrantes que chegavam à fronteira no caso de estes arremessarem pedras. Quando os seus assessores lhe recordaram que isso seria ilegal, Trump fez uma nova proposta, desta vez em privado: disparar para as pernas para os abrandar. Também não é legal, disseram-lhe.

O artigo baseia-se em mais de uma dezena de relatos anónimos de responsáveis da Casa Branca, envolvidos diretamente nos eventos dessa semana, em março. Noutra reunião, os assessores ouviram com perplexidade uma ordem de Trump: queria que fechassem os 3200 quilómetros de fronteira, completamente, até ao meio dia do dia seguinte. Os conselheiros tiveram que persuadir o chefe da Casa Branca, argumentando que tal medida prejudicaria os turistas norte-americanos, que ficariam presos no México.

Recuando, mas sem estar satisfeito, Trump pediu um orçamento aos seus assessores para fortificar a fronteira com uma vala cheia de água, abastecida com cobras e jacarés, diz o livro. E mais: queria que o muro fosse eletrificado, com espinhos no topo que pudessem perfurar a carne humana.

“Agora a imprensa está a tentar vender que eu queria um fosso cheio de jacarés e cobras, com uma cerca eletrificada”, reagiu Trump à notícia, pelo Twitter. “Posso ser duro com a segurança na fronteira, mas não tão duro assim. A imprensa enlouqueceu. Fake News!”.