Sociedade

Livro denuncia “doenças crónicas” da saúde em Portugal

Ana Rita Cavaco, bastonária dos enfermeiros, prefaciou o livro.

Um livro denunciando as “doenças crónicas” do setor da saúde em Portugal, com diversas abordagens e depoimentos inéditos de 14 enfermeiros sobre a realidade nua e crua do seu quotidiano, será apresentado domingo em Braga.

A partir do fenómeno das greves dos enfermeiros portugueses, o jornalista Rui Costa Pinto quis saber “qual a verdadeira razão dos estrangulamentos da saúde, desde logo dando voz aos profissionais, em que pela primeira são os próprios a denunciar as situações”, explicou ao Sol o autor do livro “Saúde + Enfermeiros”, prefaciado pela bastonária da Ordem dos Enfermeiros, Ana Rita Cavaco.

“Portugal nunca havia assistido aos enfermeiros num tal pé de guerra, durante tanto tempo, com tanta determinação e convicção, e sem o mais ténue sinal de fraqueza ou desistência”, afirma Rui Costa Pinto, para quem “é a vida ou a morte que estão em causa na saúde, esta bastonária conseguiu mobilizar os enfermeiros portugueses para denunciarem a realidade que se vive nos hospitais, quer nos públicos, quer nos privados”.

Segundo Rui Costa Pinto, “com estes depoimentos de 14 enfermeiros há uma denúncia que constitui um fator de exigência dos profissionais, é cidadania ativa”, daí o nome de um dos capítulos do seu mais recente livro, “Saúde + Enfermeiros”, a ser apresentado ao final da tarde do próximo domingo, na FNAC/Braga, no Centro Comercial Braga Parque, por João Paulo Carvalho, presidente da Secção Regional do Norte da Ordem dos Enfermeiros.

“Existem estrangulamentos visíveis e invisíveis do setor da saúde, problemas exógenos que ninguém quer resolver, tudo isso porque serve certos interesses instalados”, explica Rui Costa Pinto.

“Os enfermeiros, como de resto todos os profissionais de saúde, têm assim o dever de denúncia”, refere o autor do livro, até porque “começa a haver em Portugal também processos judiciais pela responsabilidade civil decorrente da sua atividade”, diz o autor.

“A desorganização total, a partidarização das nomeações de pessoas que não percebem nada, as listas de espera das cirurgias, entre outras situações nunca abordadas assim”, fazem parte deste livro, revela Rui Costa Pinto.

Ana Rita Cavaco elogia livro

Ana Rita Cavaco, bastonária da Ordem dos Enfermeiros, refere no prefácio. que “não há viagem sem verdade, sem compromisso, o autor chama-lhe ‘Cidadania Activa’”.

“É talvez um dos capítulos mais desafiantes deste livro, senti ao longo dos últimos anos que Portugal não estava preparado para quem viesse falar verdade no sector da Saúde, mostrar as feridas, duvidar dos diagnósticos e combater as receitas”, salienta Ana Rita Cavaco.

“Foi por isso que pedi aos enfermeiros que não tivessem medo de denunciar o caos nos serviços, a falta de material, a carência de recursos humanos e até o compadrio nas nomeações”, segundo acrescenta a bastonária da Ordem dos Enfermeiros.

Rui Costa Pinto, de 58 anos, jornalista, escritor e editor, é também autor dos livros “O ‘caso’ Universidade Moderna”, “Guida Maria - Uma Vida”, “José Sócrates - o homem e o líder - biografia não autorizada” e “Voos ‘Secretos’ da CIA - Uma Vergonha”.