Internacional

Tiroteio perto de sinagoga na Alemanha faz pelo menos dois mortos

Já foi detido um suspeito. Uma das das vítimas foi baleada com uma espingarda um restaurante. 

Duas pessoas morreram numa tentativa de atentado a uma sinagoga, em Halle, cidade na Alemanha, no último dia do Yom Kippur, feriado judaico. A polícia alemã já deteve um suspeito, mas pediu para que as pessoas estejam alerta. 

Os detalhes ainda não foram apurados e a situação está confusa. A polícia confirmou que uma das vítimas foi baleada com uma espingarda num restaurante de kebabs. A outra  vítima, uma mulher, foi morta na Rua Humboldt, perto de um cemitério judeu - para onde foi lançada uma granada, diz o Bild.  Um dos suspeitos utilizou uniforme de combate, de espécie militar, e um capacete, de acordo com os vídeos e fotografias partilhados por testemunhas com o jornal alemão - tendo, de seguida, fugido numa viatura. 

Segundo Max Privorozki, líder da comunidade judaica em Halle, as medidas de segurança à entrada “contiveram o ataque” à sinagoga, onde estavam judeus de todo o mundo a comemorar o dia mais importante do judaísmo: cerca de 80 pessoas estavam dentro do edifício. 

Depois de terem detido um dos suspeitos, as autoridades pediram para as pessoas evitarem sair dos seus lares e para estarem “vigilantes” e afastadas das janelas, disse no Twitter. Ao mesmo tempo, pediram contenção nas especulações e anunciaram que as investigações já passaram para os procuradores federais. 

Além dos tiros em Halle houve também um tiroteio em Landsberg, uma vila a 15 quilómetros de distância da cidade.  

O incidente já mereceu a atenção do Governo federal. O porta-voz do Executivo, Steffen Seibert, mostrou-se horrorizado com a situação e disse esperar que “a polícia seja capaz de deter o autor ou os autores do crime o mais rápido possível” para que “mais ninguém esteja em perigo”. Já Angela Merkel, chanceler alemã, classificou o ataque como um atentado. 

As autoridades vão reforçar as medidas de segurança perto das sinagogas em Halle, Leipzig e Dresden, segundo a Deutsche Welle. Em Leipzig estão planeadas comemorações para celebrar o 30.o aniversário das marchas que levaram à queda do Muro de Berlim.