Internacional

Pacotes de caça de animais selvagens: "É como a Black Friday, mas todos os dias são dias negros para os animais”

Em certos países, como África do Sul, Namíbia e Moçambique, a caça é legal e, muitas vezes, procurada "por diversão".

Uma empresa sul africana decidiu criar pacotes de caça de leões que têm criado alguma controvérsia nas redes sociais. Apesar de a empresa Mukulu African Hunting Safaris não ser a única a permitir a caça, foi pioneira em oferecer “dois pelo preço de um”.

A empresa em questão chega mesmo a fazer as contas e a dizer que esta “incrível oferta”, como é descrita, economiza 10 mil doláres a cada um dos caçadores, já que estas caças são feitas em grupo.

O fundador da campanha “Ban Trophy Hunting”, Eduardo Gonçalves pretende alertar para esta problema, chega mesmo a comparar esta estratégia à Black Friday. “As ofertas de última hora ou de cancelamento significam que alguns caçadores procuram descontos. É como a Black Friday, mas todos os dias são dias negros para os animais”.

A caça de animais selvagens é legal em países como a África do Sul, a Namíbia e Moçambique. A relativização dos assuntos está a gerar críticas. Ao jornal britânico Mirror, o fundador disse que matar animais cada vez gerava mais interesse nas pessoas. O chamado “negócio da caça de troféus, está em alta”. Eduardo Gonçalves explica à publicação que, anteriormente só quem possuía terras e coronéis do exército se interessava por esta prática. “Hoje em dia”, acrescenta, “engenheiros, gerentes de empresas de serviços ou até mesmo reformados que querem matar animais por diversão”.