Internacional

Empresa norte-americana condenada a pagar mais de 7 mil milhões de euros a homem a quem cresceu o peito

A Farmacêutica Jansen, subsidiária da empresa Johnson & Johnson, receitou um antipsicótico a Nicholas Murray, sem o avisar sobre os efeitos secundários. 

A empresa norte-americana Johnson & Johnson foi condenada a pagar uma indemnização de 8 mil milhões de dólares (cerca de 7,28 mil milhões de euros) a um homem, que diz não ter sido alertado para as consequências da toma de um antipsicótico.

O peito de Nicholas Murray cresceu devido ao medicamento, que foi comercializado pela Farmacêutica Jansen, subsidiária da Johnson & Johnson, em 2003. 

Os advogados do homem defenderam em tribunal que a empresa colocou "os lucros à frente dos pacientes" ao produzir e comercializar a risperidona.

O caso de Nicholas não é o único contra a empresa.Nos últimos anos a Johnson & Johnson já recebeu centenas de queixas pela falta de alerta sobre os efeitos secundários da resperidona. A empresa vai recorrer da decisão do júri, que considerou ser "incrivelmente desproporcional"