Vida

Abuso sexual no Big Brother. Mulher acusa concorrente de abuso sexual

Carlota diz não ter memória do que aconteceu no quarto e ficou em choque depois de ver as imagens.

Um concorrente do reality show Big Brother espanhol pode vir a ser acusado de abuso sexual por uma concorrente. A investigação já foi entregue ao Ministério Público e irá ser decidido se a acusação contra José María López irá ser formalizada. 

O caso ocorreu há dois anos, na madrugada de 4 de novembro de 2017. Depois de uma festa, na casa onde os concorrentes viviam, Carlota Prado sentiu-se mal depois de ter bebido vários shots de tequilla. José María López, com quem a concorrente mantinha uma relação, acompanhou-a ao quarto, alegadamente sóbrio. Ambos deitaram-se na cama de Carlota e através das imagens começou a perceber-se que estavam a ocorrer movimentos debaixo do edredão, enquanto Carlota estava de costas e sem se mover. 

O alegado abusador terá dito a Carlota que tinha um segredo para lhe contar, e rapidamente começou a tirar as calças e as cuecas à concorrente, enquanto esta lhe dizia "não posso" e pedia-lhe que parasse. No entanto, através das imagens, José María continuou com as "possíveis penetrações" enquanto Carlota se mantinha de olhos fechados, concluiu a juíza. Carlota ainda disse ao concorrente para "tirar", o que a juíza considerou ter a ver com as alegadas penetrações. 

Cinco minutos depois, a "súper", que toma conta da casa e do programa 24 horas por dia e que intervém quando algo de errado acontece entre os concorrentes, pediu a Carlota para se deslocar ao confessionário. A concorrente começou a vomitar e José María começou a rir-se com toda a situação, dizendo que Carlota não estava capaz. 

O homem ajudou a concorrente a levantar-se, enrolou-a numa manta, e esta acabou por deixar cair a roupa interior no caminho até ao confessionário. Horas depois, José María foi expulso do programa e a TeleCinco reportou o caso à Guardia Civil. 

Carlota teve a oportunidade de abandonar a casa para falar com os seus familiares e acabou por apresentar queixa às autoridades. A concorrente diz que não tem memória alguma do que se passou no quarto. Na manhã seguinte, quando viu as imagens, ficou em choque. 

Através das imagens do programa, a juíza afirmou que existiam indícios de abuso sexual. Já a defesa de José María afirma que caso existisse algum ato criminoso, a produção teria interrompido o programa. O Ministério Público irá agora decidir se o concorrente irá a julgamento pelo ato.