Politica

Livre vai pedir à Assembleia da República que aumente o tempo nas intervenções de Joacine

 A Assembleia da República deve "dar o exemplo" e "adaptar os seus procedimentos internos para acolher a vontade do povo português" que elegeu Joacine, declarou o dirigente Paulo Muacho

O Livre vai solicitar ao próximo presidente da Assembleia da República uma "tolerância de tempo" para as intervenções da deputada Joacine Katar Moreira, que tem gaguez, declarou o dirigente Paulo Muacho à agência Lusa. 

"Consideramos que para haver um tratamento igualitário e igualdade de oportunidades, tem de haver uma tolerância de tempo e tem de ser atribuído o tempo para que a deputada possa expor as suas ideias", defendeu. A Assembleia da República deve "dar o exemplo" e "adaptar os seus procedimentos internos para acolher a vontade do povo português" que elegeu Joacine, declarou. 

"A deputada tem gaguez, mas nós não dizemos que a gaguez é um problema" e "não será por uma questão de tempos que deixará de ter oportunidade para expor as suas ideias", afirmou, sustentando que "é uma questão fundamental até pela pedagogia que pode resultar para a sociedade".

Segundo as regras da AR, os deputados únicos representantes de um partido têm um minuto para intervir nos debates dos projetos e propostas de lei em plenário e nos debates quinzenais com o primeiro-ministro.