Internacional

'Vou continuar a fazer tudo para garantir o Brexit a 31 de outubro', diz Boris Johnson

'Um novo adiamento será péssimo para este país, para a União Europeia e para a democracia', disse o primeiro ministro britânico.

DR  

Depois de o Parlamento britânico se ter reunido, pela primeira vez em 37 anos durante um fim-de-semana, para aprovar o documento trazido de Bruxelas por Boris Johnson, o primeiro-ministro britânico suspendeu a votação que estava marcada para este sábado.

O Parlamento aprovou, durante a sessão que durou cerca de 6h, a emenda Letwin ao acordo de Brexit do primeiro-ministro. A aprovação desta emenda adia a votação e, consequentemente, obriga Boris Johnson a pedir um novo adiamento.

Logo após a medida ser aprovada, Boris Johnson não perdeu tempo em esclarecer aquilo que ia fazer. 'Não vou negociar um adiamento com a União Europeia (UE), nem a lei me obriga a fazê-lo', disse, durante a sessão. O primeiro ministro britânico acrescentou ainda que um novo adiamento será péssimo. 'Vou dizer aos nossos amigos e colegas da UE exatamente o que tenho vindo a dizer às pessoas nos últimos 88 dias, desde que sou primeiro-ministro: um novo adiamento será péssimo para este país, para a União Europeia e para a democracia', disse.

Mina Andreeva, porta-voz da Comissão Europeia, já pediu ao Governo britânico que informe a UE sobre 'os próximos passos' o mais rapidamente possível.