Sociedade

Máfia chinesa ameaça advogado português

Jorge Menezes pediu proteção para a família que está em Portugal, depois de ter recebido uma ameaça da máfia chinesa.

O advogado Jorge Menezes pediu esta semana ajuda às autoridades portuguesas e de Macau na sequência de ameaças feitas à família pela máfia chinesa. A notícia foi avançada pelo jornal Hoje Macau, que teve acesso à carta redigida pelo advogado ao Ministério dos Negócios Estrangeiros português: «Dirijo-me […] na sequência de uma ameaça inequívoca, que recebi há poucos dias, desta vez dirigida a um dos meus familiares. Apresentei já queixa-crime ao Procurador da RAEM e dirigi uma carta ao Secretário».

Jorge Menezes explicou que, na véspera de um julgamento importante, alguém conseguiu aceder à sua conta de email, enviando um e-mail para si próprio. No conteúdo estava «o verso do Bilhete de Identidade de Residente (BIR)» de um familiar, «onde consta o seu nome e o ‘negativo da fotografia’, cujo aspeto lúgubre tem um conhecido significado óbvio na simbologia das máfias locais», explicou.

A família de Jorge Menezes está em Portugal desde 2013, depois de o advogado ter sido vítima de uma tentativa de homicídio, à porta de casa, em Macau, quando saía para levar o filho à escola. Em julho deste ano, o tribunal decidiu absolver um dos suspeitos e decretar pena de prisão para o outro de um ano e nove meses.

A decisão foi criticada por Jorge Menezes, que referiu mesmo que o juiz de instrução e o Ministério Público prestaram um mau serviço à Justiça. Um dos problemas é que o mandante do ataque não foi sequer investigado pelas autoridades, motivo pela qual a família de Jorge Menezes pode estar a ser agora ameaçada.

Na carta enviada para Portugal, o advogado diz que as ameaças podem estar relacionadas com processos passados e que, apesar de nunca ter pedido proteção para a família – nem em Portugal, nem em Macau – agora a realidade é diferente.

 «O passo cruel de máfias ameaçarem agora um dos meus familiares, completamente identificado, ‘dizendo-me’ que sabem entrar no meu email, na minha casa, na nossa vida, impele-me a apelar ao Governo de Portugal […] para que interceda, do modo que julgar mais eficiente, junto das autoridades da RAEM, para que ajam no sentido de investigar e, principalmente, prevenir a materialização desta ameaça», pediu Jorge Menezes.

O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, o Cônsul-Geral de Portugal em Macau e o Ministério da Administração Interna receberam também o pedido de proteção à família de Jorge Menezes.