Internacional

Mulher admite ter derramado água a ferver sobre criança de três anos para o castigar

Criança sofreu queimaduras de segundo grau em todo o corpo.

O ano passado, seis pessoas foram acusadas de abusar repetidamente de um menino de três anos de idade. Agora, uma das arguidas admitiu ter derramado água a ferver sobre a criança, causando-lhe queimaduras de segundo grau, em Newark, nos Estados Unidos.

De acordo com o Gabinete do Procurador do Condado de Essex, citado pelo site NJ.com, Patricia Buchan, de 20 anos, admitiu que em dezembro de 2018, tirou as roupas do rapaz e o colocou na banheira, derramando-lhe depois água a ferver sobre o corpo. Em causa estava o facto de a criança ter urinado no chão do quarto do seu filho.

A mulher foi detida, em 2018, com outros cinco adultos com quem dividia o apartamento: Bridget Buchan, de 23 anos, Homer Searcy, de 39 anos, Natacha Smith, de 43 anos, Mary Buchman, de 55 anos, e Patricia Gamarra, de 62 anos.

"Esta criança viveu os seus primeiros três anos numa casa de horrores", disse o promotor assistente do condado de Essex, Michael Morris, em comunicado.

Além do menino de três anos, que era filho de Natacha Smith, viviam ainda na casa cinco outras crianças.

Todos os arguidos, com relações familiares, terão espancado constantemente a criança e são considerados cúmplices da mulher, que o decidiu punir com água a ferver.