Desporto

Libertadores. River na final à espera de Jesus

Campeão em título perdeu no terreno do Boca Juniors, mas a folga que trazia da primeira mão valeu o apuramento

Já é conhecido o primeiro finalista da edição de 2019 da Taça Libertadores (o equivalente sul-americano à Liga dos Campeões): o River Plate. Na última madrugada, os millonarios, campeões em título, saíram da Bombonera com uma das derrotas mais saborosas da sua história: perderam por 1-0 frente ao eterno rival Boca Juniors (curiosamente o finalista vencido da última edição), mas beneficiaram do triunfo caseiro por 2-0, na primeira mão das meias-finais, carimbando assim o acesso à sétima final da sua história - ganharam quatro.

O Boca foi claramente superior neste encontro, com várias ocasiões de perigo desperdiçadas. Aos 22 minutos, a bola entrou pela primeira vez na baliza de Armani após livre do ex-benfiquista Salvio, mas a jogada seria interrompida por toque com a mão na bola de Más. Seguiram-se várias oportunidades para os xeneizes, mas a falta de pontaria de Salvio e Más e a atenção de Armani, que salvou o que seria um autogolo de outro ex-benfiquista (Enzo Pérez), mantiveram o nulo até ao intervalo.

O jogo só voltaria a ganhar novamente emoção nos últimos dez minutos. Aos 80', Lisandro López (central que ainda pertence aos quadros do Benfica) ganhou de cabeça e Hurtado encostou para o 1-0. O suplente Alfaro viu Armani negar-lhe o 2-0, tal como Lisandro, este já na última jogada da partida.

O River, que se torna a primeira equipa a chegar duas vezes consecutivas à final desde o São Paulo, em 2005 e 2006, tentará agora repetir o feito... do Boca Juniors, a última equipa a conseguir revalidar o título (2000 e 2001). Os millonarios ficam agora à espera de conhecer o adversário para a partida de 23 de novembro, com a outra meia-final a decidir-se na próxima madrugada no Maracanã entre o Flamengo, de Jorge Jesus, e o Grémio - recorde-se que o conjunto orientado pelo técnico português conseguiu um empate (1-1) em Porto Alegre, na primeira mão.