Desporto

MotoGP. Miguel Oliveira triste com a KTM

Piloto português vai continuar na equipa secundária, enquanto Brad Binder subiu diretamente do Moto2 para a formação principal

A KTM anunciou esta quinta-feira a composição da sua lista de pilotos para 2020, e Miguel Oliveira ficou a saber que se irá manter no Moto GP e ao serviço da Tech3, a equipa secundária da formação austríaca. Pelo contrário, Brad Binder acaba por saltar diretamente da Moto2 para a equipa principal, ao lado de Pol Espargaro.

Uma novidade que não foi bem recebida pelo piloto português, que na primeira temporada na categoria rainha do motociclismo segue no 16.º lugar, com 33 pontos. "Eu disse, bem, se for o Mika [Kallio], acho que está completamente bem para mim, porque construí uma boa relação com a equipa e julgo que não faz sentido mudar. Mas terem escolhido um 'rookie' e um piloto com a mesma idade do que eu faz-me sentir como se não fosse suficientemente bom para lá estar. Mas é decisão deles e respeito-a", ressalvou Miguel Oliveira em entrevista à "Motorsport", completando a ideia: "Se olharem para o panorama geral faz sentido para eles, mas é só para eles que faz sentido. Para mim, não sei. Só preciso de ver o que o futuro reserva. O meu foco está totalmente aqui e irá permanecer o mesmo. Quanto ao futuro, ao longo prazo, não tenho ideia".

Hervé Poncharal, dono da Tech3, abordou entretanto o assunto, garantindo que a KTM "gosta do Miguel" e que por isso "seria incapaz de fazer alguma coisa para lhe prejudicar a carreira". "Houve um francês que tomou uma decisão estranha [Johann Zarco, no acidente que causou a queda de Miguel Oliveira no GP da Grã-Bretanha] e criou um efeito dominó. Decidiu-se que o Brad ia para a equipa oficial. Disse que o piloto que preferia era o [espanhol] Iker [Lecuona]. Gosto do estilo de condução dele. Somos uma equipa que está habituada a estrear pilotos mais novos", salientou o dirigente, garantindo que a decisão de ficar na Tech3 foi do próprio Miguel Oliveira: "Os responsáveis da KTM falaram com ele em Misano e perguntaram-lhe se estaria pronto para ir para a equipa de fábrica. Ele disse que sim, mas que se tivesse as mesmas especificações técnicas que a equipa de fábrica preferia ficar na Tech3. É uma equipa mais familiar. A KTM está 100% com o Miguel. Gostam dele. Não fariam nada que prejudicasse a carreira".