Economia

Salgado volta a ser condenado pelo BdP, desta vez em 75 mil euros

Ex-presidente do BES foi multado por desobediência a determinações do supervisor e por prestar falsas informações.

O Banco de Portugal condenou novamente o ex-presidente do Banco Espírito Santo (BES), Ricardo Salgado. A coima ascende aos 75 mil euros por desobediência a determinações do Banco de Portugal e ainda por prestação de falsas informações ao supervisor. Mas Salgado não é o único condenado a pagar coimas. Juntam-se a Espírito Santo Financial Group (ESFG) e ainda José Castella, ex-administrador.

Segundo o processo de contraordenação divulgado esta quinta-feira pelo Banco de Portugal, estão em causa infrações cometidas entre 23 de outubro de 2012 e 31 de março de 2014. Estas infrações são consideradas “especialmente graves”.

No caso da ESFG, o regulador explica que “atenta a circunstância de ter praticado, em concurso efetivo, várias contraordenações, foi o arguido condenado, em cúmulo jurídico, numa coima única no valor de 110 mil euros, suspensa, na totalidade do seu valor, pelo período de cinco anos”.

Já José Castella foi condenado por violação de determinações específicas impostas pelo Banco de Portugal e também por falsas prestações. O valor da multa é de 50 mil euros.

O regulador explica o estado do processo: “A decisão tornou-se definitiva quanto ao arguido ESFG uma vez que este não a impugnou judicialmente. Os arguidos José Carlos Cardoso Castella e Ricardo Espírito Santo Silva Salgado apresentaram impugnação judicial da decisão junto do Tribunal da Concorrência, Regulação e Supervisão”, lê-se na nota.

Recorde-se que esta não é a primeira vez que o ex-presidente do BES é condenado ao pagamento de multas pelo Banco de Portugal, uma vez que já tinha sido condenado por duas vezes. As decisões resultaram em multas de 3,7 milhões de euros por atos de gestão ruinosa no BES e ainda de 1,8 milhões devido ao BES Angola.