Sociedade

Cavalos abatidos a tiro em Vieira do Minho

A égua estava grávida de um feto com quatro meses
 

DR  

Um casal de garranos foi abatido a tiros de carabina, na madrugada desta quinta-feira, em Vieira do Minho, a Este do distrito de Braga, tendo o crime sido participado à GNR, que já comunicou a situação ao Ministério Público, havendo suspeitas de ato de malvadez, por frustração ao não terem caçado nenhum javali.

Os equídeos foram encontrados ao princípio da manhã, nas imediações da Capela de Nossa Senhora da Fé, em Cantelães, Vieira do Minho, por um criador de cavalos da mesma raça que deu logo conhecimento às autoridades, segundo adianta a Rádio Alto Ave, de Vieira do Minho.

A fêmea, que tinha um feto de cerca de quatro meses, foi abatida com dois projeteis, na lombar e na cabeça, enquanto o macho foi atingido por um disparo na região lombar, segundo afirmou João Paulo Ribeiro, presidente da Associação de Criadores de Equinos de Raça Garrana, sediada em Vieira do Minho.

“A fêmea estava prenha e, com as dores, acabou por abortar”, ainda segundo o mesmo responsável pela associação que se dedica à preservação daquela espécie protegida, dizendo “estar convicto de que se tratou de um ato de pura maldade, de alguém que teria participado, durante a noite, numa das esperas ao javali, mas como não encontraram javalis, ter-se-ão ‘divertido’ a matar garranos”.

João Paulo Ribeiro explicou também que “as esperas ao javali são ilegais, realizam-se com alguma regularidade”, um facto que é do conhecimento das autoridades policiais da zona serrana, sendo que “a carne de javali é vendida com facilidade”.

Ambos os cavalos estavam identificados, sendo a fêmea de Cantelães e o macho da Caniçada, com os proprietários a serem avisados da ocorrência, comunicada ao Posto Territorial da GNR de Vieira do Minho, tendo os dois cavalos chips e marcas de fogo.