Sociedade

Rosa Mota sente-se "enganada" pela Câmara do Porto

"Senti-me definitiva e claramente enganada", declarou a atleta. 

Rosa Mota decidiu não marcar presença na reabertura do pavilhão da cidade, antigamente conhecido por Pavilhão Rosa Mota, esta segunda-feira, devido à alteração do nome da infraestrutura.

Depois de ter estado fechado para obras, a estrutura vai reabrir com um novo nome: “Super Bock Arena Pavilhão Rosa Mota”, algo que fez a desportista sentir-se “enganada”. Rosa Mota afirma considerar que o seu nome perdeu destaque, em prol de uma marca de bebidas alcoólicas.

A campeã olímpica enviou uma carta à autarquia onde mostra o seu desagrado com a atitude. “Quando recebi o convite do senhor presidente da Câmara para a reabertura do Pavilhão, e no qual está escrito "Super Bock Arena Pavilhão Rosa Mota" senti-me definitiva e claramente enganada. (...) Comunico a todos os vereadores, em primeira mão, que não dou a minha anuência a algo que parece estar definitivamente estabelecido e que não foi o que foi acordado”, escreveu no documento, citado pela TSF.

A Câmara do Porto já abordou o assunto e diz que o nome da atleta "nunca esteve tão protegido". "A Câmara do Porto considera que o nome da atleta está mais do que nunca protegido, não compreendendo que alguém se possa considerar mais respeitado dando nome a um edifício em pré-ruína e sem uso, do que num moderno centro de congressos onde a sua designação está claramente inscrita", remata a autarquia, através de um comunicado.