Sociedade

"Venho aqui fazer aquilo que tenho feito ao longo destes cinco anos: repor a verdade"

No Requerimento de Abertura de Instrução (RAI), Sócrates reitera que "não cometeu qualquer crime, nem praticou os factos narrados na acusação, muitos dos quais nunca sequer ocorreram".

José Sócrates começou a ser interrogado esta segunda-feira, no âmbito do processo Operação Marquês, quase cinco anos depois de ter sido detido. À chegada ao Tribunal de Instrução Criminal (TIC), o antigo primeiro-ministro disse que vai “repor a verdade”.

“Venho aqui fazer aquilo que tenho feito ao longo destes cinco anos: repor a verdade. É um longo caminho, bem sei, é um caminho mais árduo do que aqueles que fazem alegações completamente infundadas, injustas e até absurdos. Mas é isso que venho aqui fazer: repor a verdade”, disse José Sócrates aos jornalistas, à entrada do Tribunal.

Recorde-se que o antigo governante, que vai ser ouvido pelo juiz Ivo Rosa, é suspeito de branqueamento de capitais, falsificação de documento, corrupção e fraude fiscal.

O ex-primeiro ministro será o penúltimo arguido do caso a ser interrogado, sendo que o empresário Carlos Santos Silva, com audiência marcada para dia 27 de novembro, irá encerrar o ciclo de interrogatórios na fase de instrução. 

José Sócrates esteve em prisão preventiva durante dez meses e 42 dias em prisão domiciliária.