Sociedade

Proteção Civil e bombeiros chamados a escola básica de Lisboa após queda de beiral em pátio

Escola gerida pela autarquia de Lisboa já estava ‘sinalizada’ devido à degradação das instalações que constitui um risco para as crianças.

Um beiral da escola básica nº 72, na Rua da Bela Vista à Lapa, em Lisboa, caiu no pátio do recinto, esta terça-feira, confirmou o i junto da direção do estabelecimento de ensino.

 Os bombeiros já estão no local e a Proteção Civil estava já a caminho às 10h, segundo a diretora da escola, professora Maria Afonso, que sublinhou haver mais zonas das instalações em risco.

A queda do beiral não provocou ferimentos em qualquer criança ou funcionário, pois não estava ainda ninguém no pátio, uma vez que o incidente terá ocorrido ainda de madrugada, apurou o i.

A direção do Agrupamento de Escolas Padre Bartolomeu de Gusmão, a que pertence a nº72, também já se dirigiu às instalações para acompanhar a situação.

A Junta de Freguesia da Estrela foi informada da situação, e o presidente Luís Newton mostrou-se preocupado com o estado de degradação da escola, tendo confirmado que a Câmara de Lisboa já está a par da necessidade “premente” da realização de uma intervenção “mais profunda”.

Em declarações ao i, Luís Newton adiantou que o vereador Manuel Grilo, que detém o pelouro da Educação, já chegou mesmo “a visitar as instalações”, tendo na altura ficado estabelecido um compromisso para realizar obras de "qualificação" do edifício.

Sublinhe-se que esta escola foi alvo de uma avaliação do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC), assim como outros 55 estabelecimentos escolares sob gestão da autarquia, e cujos resultados foram conhecidos no final de junho passado.

A nº 72 estava listada como um estabelecimento, de um total de 17, considerado em “mau estado”, devido à degradação das instalações, adiantou na altura o jornal Público.

Fonte do gabinete de Manuel Grilo, eleito pelo Bloco de Esquerda, contactada pelo i, confirmou que o vereador estava a par da situação e que já se procedeu a “todas as diligências junto da Proteção Civil para assegurar a segurança das crianças".

A escola na Lapa já fazia parte da lista de estabelecimentos que exigiam obras, tendo as instalações sido avaliadas por técnicos da Câmara, confirmou o assessor, tendo sido enviadas as conclusões para “o departamento das obras municipais”. O estado atual, no entanto, não foi considerado como sendo de “risco imediato”, existindo outros estabelecimentos que impunham maior urgência.

Por outro lado, a queda do beiral registada hoje deverá fazer com que a escola nº72 suba na lista de prioridades de escolas a serem intervencionadas, admitiu ao i o assessor de Manuel Grilo.

Questionada sobre a segurança atual das crianças a mesma fonte afastou um cenário de encerramento, garantindo que não há razão para se alterar a rotina escolar. Contudo, os alunos ficarão com a zona de recreio condicionada.