Cultura

Prémio LeYa não é atribuído este ano devido a falta de "qualidade literária"

Esta é a terceira vez que o prémio LeYa não é atribuído.

O júri do Prémio LeYa decidiu, esta terça-feira, não atribuir o galardão este ano por falta de qualidade das obras literárias a concurso. Em comunicado, o júri presidido por Manuel Alegre refere que nenhuma das obras corresponde “aos parâmetros de qualidade literária exigidos pelo Prémio”, que tem o valor pecuniário de cem mil euros.

Esta é a terceira vez que o prémio, que se destina a “promover a ficção lusófona e a emergência de novos autores”, não é entregue. Em 2010 e 2016 nenhuma das obras correspondeu às expectativas e o prémio não foi entregue.

O vencedor do prémio, cuja atribuição atribuição é feita desde 2008, seria anunciado esta quarta-feira, na sede do grupo LeYa, em Alfragide. Para além de Manuel Alegre, fazem parte do júri Lourenço do Rosário, José Carlos Seabra Pereira, Nuno Júdice, Ana Paula Tavares, Isabel Lucas e Paulo Wernek. O escritor brasileiro Itamar Vieira Junior venceu a última edição, com o romance Torto Arado.