Tecnologia

Uma volta ao mundo na Web Summit

Está tudo preparado para receber ‘a melhor conferência de tecnologia do planeta’. A Web Summit tem início esta segunda-feira e já quase encheu hotéis e alojamentos. PSP também está preparada para o evento.

Um dos maiores eventos tecnológicos do mundo, apelidado pela Forbes como «a melhor conferência de tecnologia do planeta», está de regresso a Lisboa para mais uma edição, que vai decorrer desta segunda-feira até quinta-feira. O cartaz é recheado, mas estão todos de olhos postos no grande momento do evento, a inauguração, que certamente será inesquecível: Edward Snowden vai abrir a Web Summit em direto, a partir da Rússia.

A participação de Edward Snowden vai ser realizada através da transmissão de um vídeo em direto, uma vez que Snowden não pode estar presente. Recorde-se que o convidado é um ex-analista de sistemas informáticos que denunciou um sistema de vigilância massiva nos Estados Unidos. Foi depois acusado de espionagem por parte das autoridades norte-americanas e está refugiado em Moscovo, na Rússia, desde 2013.

A organização da Web Summit espera que o convidado conte a sua história enquanto funcionário da Agência de Segurança Nacional (NSA) e todo o seu percurso, passando pela forma como ajudou a construir o sistema de vigilância em massa das mensagens de cidadãos norte-americanos e o porquê de ter exposto este caso. 

Mas a Web Summit reserva muito mais surpresas. Do leque de luxo dos convidados fazem parte Guo Ping, presidente da Huawei; Brad Smith, presidente da Microsoft; Jaden Smith, ator e cofundador dos projetos 501cTHREE.org e JUST water; Katherine Maher, CEO da Wikipédia; Tony Blair, ex-primeiro-ministro inglês; Ian Somerhalder, ator; e Kathleen Kennedy, presidente da Lucasfilm, entre outros.

Como não podia deixar de ser, o primeiro-ministro. António Costa. e o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, vão também marcar presença neste evento que tem destaque a nível internacional.

A Altice Arena e a FIL são os palcos principais do evento e onde vão decorrer as conferências, mas não são os únicos, até porque quem participar na Night Summit vai usufruir de espaços míticos da cidade de Lisboa como a rua cor-de-rosa ou a LX Factory. 

À Lusa, o cofundador da Web Summit revelou que esta edição do evento vai estar associada às alterações climáticas. «Estamos a caminhar na direção de um evento livre da utilização de plástico e muito do conteúdo que vamos ter no ‘planet:tech’ assenta no papel que a tecnologia pode assumir no combate às alterações climáticas. E isso acaba por realçar o trabalho que a Web Summit pode fazer, ao criar uma rede de conexões ambientais que podem traduzir-se em projetos pós-evento», garantiu, acrescentando que espera receber mais de 70 mil visitantes, incluindo 1800 startups, 1500 investidores e ainda dois mil representantes de órgãos de comunicação social.

Alojamentos em alta

É sabido que grande parte dos participantes na Web Summit vêm do estrangeiro, motivo pelo qual, nesta altura, o alojamento em Portugal, principalmente na zona de Lisboa, fica mais escasso.

Segundo dados do Airbnb, durante a semana do evento, os anfitriões de Lisboa vão receber mais de 38 mil hóspedes, provenientes de 116 países e 4108 cidades diferentes. E é exatamente por causa da Web Summit que os lisboetas vão ganhar, coletivamente, 3,6 milhões de euros pela partilha das suas casas.

Já a Associação da Hotelaria de Portugal (AHP) avançou ao SOL que «do inquérito realizado, e ainda em curso, às unidades hoteleiras associadas da AHP, da cidade e da Área Metropolitana de Lisboa, sobre a Web Summit 2019, mais de 80% dizem que a taxa de ocupação será igual ou superior à verificada no evento de 2018. Para cerca de 70% dos inquiridos, a taxa de ocupação está entre os 91% e os 100%». Contudo, os dados finais deste inquérito só serão divulgados durante o evento.

A AHP garante ainda que os principais mercados são Reino Unido, Espanha, EUA e Alemanha.

Policiamento adequado ao evento

A Web Summit, como tem sido habitual, vai obrigar a algumas alterações ao trânsito. Nesse sentido, a Polícia de Segurança Pública (PSP) informou que vão estar cortadas as ruas adjacentes ao recinto: Rua do Bojador, Avenida do Atlântico, Avenida da Boa Esperança (condicionada), Rua Nova do Carvalho e Rua Rodrigues Faria.

Ao SOL, a PSP explica que vão existir noutros pontos da cidade alguns eventos ligados à Web Summit, designadamente nas zonas do Bairro Alto, Cais do Sodré e zona circundante da LX Factory, que «poderão provocar congestionamento à circulação, pelo que serão acompanhados por equipas da PSP que localmente darão todo o apoio necessário às populações e participantes neste evento», acrescentando que vai promover o reforço de segurança através do patrulhamento fardado e à civil.

Como acontece com os eventos que mobilizam um grande número de pessoas, a PSP garante que vai ter o policiamento adequado ao evento em questão, com um aumento do número de polícias envolvidos «em virtude de haver um aumento do recinto em relação ao ano anterior».

Nesse sentido, a PSP «montará um dispositivo de segurança centrado na prevenção e proatividade, recorrendo às suas várias valências, nomeadamente polícias do Modelo Integrado de Policiamento de Proximidade (incluindo Equipas de Turismo), Equipas de Trânsito, Brigadas de Prevenção Criminal, Equipas de Intervenção Rápida, Equipas de Prevenção e Reação Imediata, Unidade Especial de Polícia, contando igualmente com a colaboração da Polícia Municipal de Lisboa».