Sociedade

Borba. Bombeiros agredidos dentro do quartel

Um grupo de cerca de 20 elementos de etnia cigana atacou a corporação de bombeiros voluntários

O quartel dos Bombeiros Voluntários de Borba foi alvo de um ataque, por um grupo de "cerca de 20 pessoas" de etnia cigana, durante a última madrugada. Dois elementos da corporação acabaram por ficar feridos na sequência das agressões de que foram alvo.

"Por volta das 00h30 horas, um grupo de aproximadamente 20 pessoas de etnia cigana dirigiu-se ao quartel para fazer um alegado pedido de socorro para uma pessoa que estaria inconsciente, mas não estava. Os elementos dos bombeiros perguntaram se tinham ligado ao 112, mas responderam que não e que a assistência tinha de ser feita ali", contou ao "Jornal de Notícias" o comandante, Joaquim Branco, completando o relato: "Depois de um elemento explicar que para fazer a assistência é necessário ativar o pedido de socorro, uma das pessoas do grupo agrediu-o com dois murros. Aí fechámos a porta e eles partiram os vidros, com alguns pedaços a ser projetados contra outro elemento que assistia o colega ferido".

O grupo de agressores terá, então, invadido o quartel e perseguido outros voluntários, que fugiram e se esconderam. O grupo acabaria por deixar o espaço apenas por volta das três da manhã, depois de ser chamada a GNR, que mobilizou uma patrulha de Borba e outra de serviço no distrito de Évora, e uma viatura do Corpo de Intervenção da PSP. "Apesar das lesões não serem graves, os bombeiros ficaram muito afetados psicologicamente", frisou o comandante. Ao "JN", fonte do Comando Territorial da GNR de Évora disse que nenhum suspeito foi ainda identificado e que a entidade está "a averiguar a situação". "Não sabemos o número exato de pessoas, apenas que se tratava de um grupo de etnia cigana", referiram.