Internacional

Brasil anuncia captura de "maior traficante de pessoas do mundo"

Saifullah al Mamun, natural do Bangladesh, cobrava cerca de dez mil euros para transportar ilegalmente cidadãos asiáticos para os Estados Unidos

A Polícia Federal do Brasil anunciou ter capturado Saifullah al Mamun, considerado o maior traficante de pessoas do mundo. Natural do Bangladesh, al Manun foi um dos oito detidos na passada quinta-feira no Brás, região central de São Paulo, numa operação contra o tráfico de migrantes.

Al Mamun estava na lista negra da Interpol e a sua prisão foi decretada nos Estados Unidos durante a última semana, por suspeitas de liderar um esquema ilegal para transportar pessoas sul-asiáticas para a América do Norte, passando pelo Brasil - pela rota, cobrava cerca de 10 mil euros a cada pessoa. Às autoridades americanas, os migrantes, na sua maioria provenientes de países como Afeganistão, Bangladesh, Índia e Paquistão, contaram que entraram no Brasil pelo Aeroporto Internacional de Guarulhos, com passaportes e documentos falsos fornecidos por Mamun.

De acordo com a Polícia Federal, os traficantes mantinham contacto com taxistas por aplicações como o WhatsApp ou o Messenger e mandavam fotografias dos migrantes para que os motoristas pudessem reconhecê-los à chegada e levá-los até à fronteira do Brasil com o Peru. A seguir, faziam um trajeto que os levava a atravessar Equador, Colômbia, Panamá, Costa Rica, Nicarágua, Honduras, El Salvador, Guatemala e México.

As investigações que levaram à detenção agora realizada iniciaram-se em maio de 2018, após uma denúncia anónima à Polícia Federal brasileira, que contou com a cooperação da agência americana para imigração ("US Immigration and Customs Enforcement"). A operação, batizada "Estação Brás" no Brasil, decorreu simultaneamente em 20 países.