Economia

Aramco vai entrar em bolsa

O monopólio que a Aramco tem sobre reservas petrolíferas torna a empresa fenomenalmente lucrativa.

A Aramco, a empresa petrolífera estatal da Arábia Saudita, com um valor estimado entre uns astronómicos 1,2 biliões de dólares (cerca de um bilião de euros) e dois biliões de dólares (cerca de um 1,8 biliões de euros), vai colocar na bolsa saudita 1 ou 2% da empresa, no que pode ser a maior oferta pública inicial (IPO na sigla inglesa) da história.

Não só a Arábia Saudita tem as maiores reservas petrolíferas do mundo, ficando atrás apenas da Venezuela, como tem a vantagem de estas serem de fácil acesso. O monopólio que a Aramco tem sobre essas reservas torna a empresa fenomenalmente lucrativa, rendendo 46,9 mil milhões de dólares (mais de 40 mil milhões de euros) só na primeira metade de 2019. Comparativamente, a empresa que vale mais atualmente, a Apple, teve um lucro de 21,6 mil milhões de dólares (menos de 20 mil milhões de euros) no mesmo período.

Apesar de não haver planos para chegar à bolsa internacional, analistas alertam para o risco do investimento na Aramco, vista como um braço do Estado saudita, dada a instabilidade na região. Ainda em setembro, um ataque com drones devastou uma das principais instalações da empresa.