Politica

Parlamento Europeu. Nuno Melo queixa-se de "manipulação miserável"

Em causa está votação no Parlamento Europeu, na semana passada, de resoluções para o resgate migrantes. Falta de consenso e voto de eurodeputados da direita motivaram queixas e críticas da parlamentar bloquista Marisa Matias. Nuno Melo não aceita as críticas. 

O eurodeputado do CDS, Nuno Melo, classificou este domingo de “miserável manipulação” a acusação de que ajudou a impedir a aprovação de resolução pelo salvamento de migrantes no Mediterrâneo. A crítica foi feita numa entrevista à TSF/DN.  

No Parlamento Europeu ninguém se entendeu para aprovar uma resolução conjunta de apoio ao resgate de migrantes no Mediterrâneo. A eurodeputada do Bloco de Esquerda, Marisa Matias, queixou-se nas redes sociais, alegando que a direita não viabilizou a solução. Melo ripostou, lembrando que houve quatro resoluções a votos e os “todos os eurodeputados portugueses votaram a favor e contra as duas coisas”.

Vice do  PSD pede clarificação

Entretanto, o vice-presidente do PSD, David Justino, defendeu no twitter que se Nuno Melo tem razão, então “alguém terá de retratar-se: Marisa Matias, Tweeters e alguns jornalistas”.

Na referida entrevista, Nuno Melo voltou a colocar-se fora da corrida interna à liderança do CDS.

Para o efeito, lembrou o passado no CDS. Nuno Melo, que é eurodeputado, recordou que criticou esse facto quando Ribeiro e Castro foi líder do partido, entre 2005 e 2007.  Apesar de não defender que o próximo presidente seja obrigatoriamente um deputado, o dirigente vê mais vantagens em que um novo líder centrista esteja no Parlamento. Isto porque existem novos partidos que podem disputar o palco com o CDS na Casa da Democracia: o CHEGA e o Iniciativa Liberal.