Economia

Novos estatutos do Montepio longe de gerarem consenso

Associação Mutualista Montepio vai estar reunida esta noite para aprovar os novos estatutos. Mas segundo uma nota a que o i teve acesso, as alterações estão a provocar forte contestação.

A Associação Mutualista Montepio (AMM) vai estar reunida esta noite em assembleia-geral para aprovar os novos estatutos, uma imposição do novo Código das Associações Mutualistas (CAM). Mas, ao que i apurou, as alterações estão longe de gerar consenso.

Uma das exigências diz respeito à necessidade de eleger uma assembleia de representantes. Este novo órgão terá não só o poder de aprovar e alterar estatutos como também o de fixar a remuneração dos membros dos órgãos sociais, aprovar contas e ainda fiscalizar os órgãos sociais, entre outras competências, nomeadamente avaliar a estratégia da associação.

O i sabe que esta assembleia de representantes terá de ser composta por 30 membros – dos quais 15 têm de ser associados há mais de dez anos e outros 15 há menos de dez anos –, cuja lista terá de contar com 500 assinaturas. E cada lista terá de reunir cerca de 50 elementos. Além do presidente, secretário e dois suplentes terá ainda de incluir vários representantes, totalizando os tais 50 membros. Com esta estrutura, vão deixar de existir as assembleias-gerais tal como ocorrem hoje.

Leia aqui este artigo na íntegra