Sociedade

Membro da Juve Leo finge ser mulher para assaltar colega de claque

Os assaltantes - o elemento da claque e um outro indivíduo - fizeram-se passar por duas mulheres que estavam interessadas em ter relações sexuais com as vítimas.

Dois homens foram condenados a cinco anos e seis meses de prisão, depois de terem enganado outros dois homens sobre a sua identidade e de os terem assaltado, avançou o Correio da Manhã. 

O caso ocorreu em dezembro do ano passado e o julgamento chegou agora ao fim. Os assaltantes fingiram ser duas mulheres que estavam interessadas em ter relações sexuais com as vítimas. Através de trocas de mensagem pelo WhatsApp, os agressores, um deles membro da claque Juve Leo, convenceram os homens, também membros da claque do Sporting, a dirigirem-se a Almada.

Quando chegaram ao local marcado, um prédio no Monte da Caparica, as vítimas encontraram dois homens armados com uma faca. Ao subirem as escadas do prédio, foram de imediato ameaçados pelos assaltantes, que os obrigaram a entregar os telemóveis e várias peças de ouro que tinham na sua posse.

Um dos assaltantes, um homem de 34 anos, foi detido em janeiro deste ano, depois de a vítima o ter identificado. Apesar de no momento da agressão, os homens estarem de cara parcialmente coberta, o facto de já terem viajado várias vezes juntos para acompanhar a equipa leonina permitiu à vítima reconhecê-lo mais tarde e identificá-lo junto das autoridades. Já o segundo assaltante, um homem de 23 anos, foi detido em fevereiro. Ambos apresentavam antecedentes criminais e estavam com penas suspensas por roubo.

O Ministério Público sublinha que a "decisão condenatória ainda não transitou o julgado" e que os homens podem ainda recorrer da decisão.