Economia

Bruxelas mais otimista do que Governo nas previsões de crescimento da economia portuguesa

Desempenho português destaca-se pela positiva entre as previsões pessimistas da Comissão para o resto da Zona Euro que é revista em baixa

A Comissão Europeia melhorou, esta quinta-feira, em três décimas a previsão de crescimento económico de Portugal para 2% este ano, uma décima acima do esperado pelo Governo, já para 2020 mantém-se a anterior previsão de 1,7%.

A estimativa faz parte das previsões económicas de outono, divulgadas esta quinta-feira, e nas quais a Comissão Europeia coloca-se em linha com as previsões para o défice este ano dadas pelo Executivo, que estimavam uma redução para 0,1% do Produto Interno Bruto (PIB), face ao défice de 0,4% registado em 2018.

"Prevê-se que o défice das administrações públicas diminua para 0,1% do PIB em 2019, apoiado por receitas cíclicas ainda dinâmicas, redução das despesas com juros e um investimento público abaixo do orçamentado", lê-se no comunicado da Comissão Europeia.

"No entanto, [o défice] é negativamente afetado por uma nova ativação do mecanismo de capital contingente do Novo Banco (0,6% do PIB)", é ainda referido pelo executivo comunitário, que acrescentou: "excluindo esta e outras medidas extraordinárias, o saldo orçamental deve atingir um excedente de 0,5% do PIB" este ano.

Mas se por um lado Portugal não só resiste, como indica um desempenho melhor do que o esperado, o mesmo parece não acontecer com o resto da Zona Euro. A Comissão Europeia reviu em baixa a sua previsão de crescimento da economia, e mostra-se preocupada com o impacto negativo dos conflitos comerciais na atividade económica do bloco.

Nas previsões divulgadas hoje, o crescimento estimado para este ano na Zona Euro baixa dos 1,2% antecipados em julho para 1,1%, enquanto a previsão de crescimento para o próximo ano passa de 1,4% para 1,2%.