Politica

Capucho continua à espera de reentrar

António Capucho teve processo de refiliação no partido em banho-maria nas legislativas. Agora, é para avançar.

 

O antigo líder parlamentar e autarca de Cascais António Capucho pediu a refiliação ao PSD em setembro, um mês antes das legislativas. O seu nome foi chumbada pela concelhia de Cascais e o dossiê ficou em banho-maria na Comissão Política Nacional, liderada por Rui Rio.

Verificou-se uma turbulência interna e, para a evitar em plena campanha eleitoral, tanto a direção nacional como o próprio visado deixaram o processo parado na sede nacional. A ordem foi mesmo essa: não mexer.

Agora, numa altura em que o PSD se prepara para eleições internas, António Capucho voltou à carga. «Limitei-me a dizer à sede nacional, precisamente no dia seguinte ao dr. Rui Rio ter dito que se recandidatava, que pode remeter a ficha de inscrição porque eu estou interessado em regressar ao partido», declarou ao SOL António Capucho.

De acordo com informações recolhidas pelo SOL, o pedido ainda não saiu da sede, mas será remetido à concelhia de Cascais para garantir a aprovação do regresso do ex-militante, antigo dirigente desde o tempo da sua fundação. Contudo, se houver entraves, o processo nunca estará concluído antes do final do ano. Além disso, Capucho, que irá dar o seu apoio a Rui Rio, não poderá participar no ato eleitoral, porque não tem seis meses de militância.

Este sábado, realizam-se eleições na distrital de Lisboa, entre Sofia Vala Rocha e Ângelo Pereira. Este último era vice de Pedro Pinto, tem o apoio de Carlos Carreiras e estará ao lado de  Pinto Luz na corrida nacional. Sofia Vala Rocha tem o apoio de Rui Gomes da Silva, Conceição Monteiro e pode vir a impugnar os resultados por causa de prazos na entrega da lista adversária.