Internacional

Tribunal norte-americano recusa pedido de liberdade insólito

Condenado a prisão perpétua considerava já ter cumprido a pena... por ter recuperado de uma paragem cardíaca

A história de Benjamin Schreiber entra diretamente nas notícias mais insólitas da semana. O norte-americano de 66 anos, que cumpre pena de prisão perpétua por ter espancado um homem até à morte no Estado do Iwoa em 1996, pretendia ser libertado devido a um motivo muito... especial: o seu coração parou por breves instantes.

Em 2015, devido a um grave problema renal, Schreiber foi assistido de emergência no hospital, entrando mesmo em paragem cardiorrespiratória. Acabaria por ser "ressuscitado" pelos médicos, regressando novamente à prisão, e no ano passado entrou com o pedido de liberdade, alegando que foi "ressuscitado" contra a sua vontade e que a "morte", ainda que temporária, foi tecnicamente cumprida.

Apesar de considerar o pedido "original", o tribunal não acedeu às pretensões do condenado. Benjamin Schreiber, ainda assim, não se conforma, tendo o seu advogado já confirmado que vai recorrer da decisão.