Sociedade

Alegada vítima de violência doméstica atirou óleo quente contra o companheiro antes de o esfaquear na Moita

Ana Paula Gomes diz que se defendeu das agressões do companheiro.

A mulher, de 54 anos, que matou, esta segunda-feira, o companheiro, de 27 anos na Moita, ter-lhe-á arremessado óleo de fritura quente antes de o esfaquear até à morte, avança o Correio da Manhã.

Ana Manuela Gomes, que depois do crime se entregou no posto da GNR daquela localidade, justificou o homicídio alegando ser vítima de violência doméstica.

De acordo com o Correio da Manhã, a mulher foi deixar o filho, de oito anos, à escola e regressou depois a casa, onde estava o companheiro, Bruno Miguel, para se preparar para ir para o trabalho. Numa troca de palavras, o homem terá começado a agredi-la, levando a mulher a cometer o crime.

"Ele estava a bater-me e defendi-me. Dei-lhe uma facada", terá confessado a vítima quando chegou ao posto da GNR, acompanhada pela irmã, citada pelo mesmo jornal.

Em comunicado, a Polícia Judiciária emitiu um comunicado a dizer Ana Manuela Gomes foi detida por recaírem sobre si "fortes indícios da prática do crime de homicídio qualificado".