Internacional

PSOE e Unidas Podemos têm pré-acordo para "Governo progressista"

Os partidos puseram de lado os vetos que impediram que se entendessem após as eleições de abril - levando à repetição das eleições. Contudo, agora a matemática não lhes é tão favorável.

O primeiro-ministro espanhol em funções, Pedro Sánchez, e o líder do Unidas Podemos, Pablo Iglesias, alcançaram um pré-acordo para um Governo de coligação, anunciado em conferência de imprensa, hoje à tarde. Face ao impasse, após as eleições de 10 de novembro, ambos abdicaram dos todos os vetos que os impediram de se entenderem, após as eleições de 28 de abril - levando à repetição das eleições.

Contudo, agora a situação está mais complicada do que antes. Em conjunto, o PSOE e o Unidas Podemos têm 155 deputados, longe dos 176 que precisam para uma maioria. Continuam dependentes da abstenção dos independentistas catalães, como estavam após as eleições de abril. Com a diferença que, agora, com o caos na Catalunha, dificilmente as forças catalães se mostrarão tão disponíveis a negociar. Os três deputados do Mais País - resultado de uma cisão do Unidas Podemos - estarão certamente disponíveis a negociar, e os independentistas bascos do Partido Nacionalista Basco (PNV), que têm sete deputados, já se mostraram disponíveis também. Talvez o PSOE ainda consiga apoio dos cinco deputados do Euskal Herria Bildu (EH Bildu) - mas ficam-lhe a faltar seis deputados.

Além disso, está fora de questão conseguir um Governo apoiado pelo Unidas Podemos, PSOE e Ciudadanos: juntos têm apenas 165 deputados. Juntando o Ciudadanos à equação, certamente se afasta o apoio independentista - os centristas têm uma posição ainda mais dura em relação à Catalunha do que Sánchez. Faltando os independentistas, Sánchez poderia tentar conseguir a abstenção do Partido Popular (PP) - que certamente não ficarão satisfeitos com o apoio à esquerda, do Unidas Podemos. Ainda assim, o anúncio do pré-acordo dá corpo à promessa feita por Sánchez na noite eleitoral, de um "Governo progressista". Falta saber como será concretizada. 

----- Em atualização ---------