Vida

Quase metade do país vive na pobreza, mas Rei gasta 15 milhões em mais de 100 carros de luxo

"Está a mostrar um dedo do meio a todos os pobres [da Suazilândia]"

Youtube
Twitter
Twitter

O Rei da Suazilândia, Mswati III, que recentemente mudou o nome do país para Reino dos Suazis (eSwatini, no dialeto local), renovou a sua frota de carros de luxo. Na semana passada, chegaram ao seu palácio 19 Rolls-Royces e cerca de 120 BMW’s para as suas 14 mulheres. De acordo com a notícia avançada pelo TimesLive, no total, acredita-se que Mswati III, conhecido pelas suas extravagâncias, terá gastado cerca de 15 milhões de euros.

Fontes do palácio confirmaram a compra dos carros de luxo. No entanto, negam que esta tenha sido feita com dinheiro público, mas sim com a venda de imóveis.

O caso, que não acontece pela primeira vez, está a indignar a população. De acordo com o jornal Le Monde Áfrique, dos 1,2 milhões de habitantes do país, 40% vivem abaixo da linha da pobreza. Além disso, o agora conhecido como Reino dos Suazis é o país com a maior prevalência de HIV em todo o mundo, onde quase metade da população tem HIV.

A polémica torna-se ainda maior numa altura em que os trabalhadores lutam por melhores salários e condições de vida.

“Esta aquisição acontece num momento em que o país está sob fortes restrições financeiras. Nós não precisamos de carros. Os Rolls Royce são um luxo (...) Precisamos de alimentos básicos, de luz, água e de combustíveis a preços acessíveis", comunicou a Turocswa, uma central sindical.

"Os funcionários do setor público não recebem aumentos de salário há três anos, e o sistema de saúde está totalmente colapsado. Ele basicamente está a mostrar um dedo do meio a todos os pobres", disse Wandile Dludlu, secretário-geral do Movimento Democrático Popular Unido (Pudemo), da oposição política.

O Rei Mswati III foi coroado em 1986, aos 18 anos, e tem 25 filhos.

A Suazilândia é considerada a última monarquia absoluta de África.