Desporto

Dirigente do Vasco da Gama agrediu Gabigol e Jorge Jesus criticou: "É grave" | Vídeo

Jogador alega não compreender o que levou à agressão.

O Flamengo e o Vasco da Gama encontraram-se, esta quinta-feira,  no Maracanã. O dérbi do Rio de Janeiro, que acabou empatado 4-4, foi marcado por várias picardias.

Após o apito final, André Souza, dirigente do Vasco da Gama, agrediu, com uma joelhada, Gabigol, jogador do Flamengo. O momento, que rapidamente se tornou viral, aconteceu num momento em que os atletas de ambas as equipas se estavam a envolver numa confusão.

O avançado brasileiro, que já jogou pelo Benfica, acabou por relatar a agressão, deixando claro que não percebeu as motivações do representante da equipa adversária.

“Estava a conversar com o Fellipe sobre o jogo. Ele veio e me deu um tostão. Me agrediu, sim, fica nítido na imagem. Não tive nem reação. A agressão realmente não dá para entender”, comentou.

Jorge Jesus e também Marcos Braz, vice-presidente do Flamengo, criticaram amplamente o sucedido.

“Situações de bate boca são normais. Mas quando um dirigente entra e agride os jogadores, como fez o senhor do Vasco, que não me interessa saber o nome, é grave. Foi falta de respeito ao Vasco, que tem história. Esse senhor não tem capacidade para estar no Vasco”, disse o treinador português.

“Foi algo dentro de campo. Parece que o André, que trabalha no futebol do Vasco, deu um chuto no Gabriel. Um pouco sem sentido. Isso é coisa de jogador, que brigam, discutem. Algo deles”, criticou Marcos Braz.