Sociedade

Marcelo Rebelo de Sousa destaca importância dos psicólogos nos incêndios de 2017 e atualmente

 "Vimos quão importante foi o papel dos psicólogos. Quando eles chegaram, as coisas mudaram, todo o ambiente, o ambiente social. Não apenas as vidas daqueles que tinham perdido os seus entes queridos, toda a sociedade".

Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou esta sexta-feira a importância dos psicólogos no país e destacou especialmente o seu papel nos incêndios de 2017 em Portugal, durante uma conferência internacional sobre psicologia, saúde mental e alterações climáticas, organizada pela Ordem dos Psicólogos e pela Associação Americana de Psicologia, no Museu do Oriente, em Lisboa.

O Presidente acrescentou ainda que, na sua visão, os psicólogos podem vir a ter um contributo muito importante na mudança de mentalidades no que toca às alterações climáticas.

Referindo-se aos incêndios de 2017, em que morreram mais de cem pessoas, Marcelo destacou a intervenção dos psicólogos. "Vimos quão importante foi o papel dos psicólogos. Quando eles chegaram, as coisas mudaram, todo o ambiente, o ambiente social. Não apenas as vidas daqueles que tinham perdido os seus entes queridos, toda a sociedade".

"Tantas famílias, milhares de pessoas afetadas. Os psicólogos tiveram de lidar com isto. E nós sabemos que uma parte desses fogos foi resultado das alterações climáticas". Durante o seu discurso, Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou que a nível mundial se vive "uma situação de emergência" no que toca às alterações climáticas e destacou a importância da intervenção dos psicólogos.

Para o chefe de Estado, os especialistas devem "antecipar e prevenir", com efeitos a médio e longo prazo e iguala o papel dos profissionais ao seu, enquanto Presidente da República.  Na visão de Marcelo, o papel mais difícil está na mão dos psicólogos: mudar mentalidades,  que é uma luta "cultural, cívica, psicológica".