Economia

TAP apresentou prejuízos de 111 milhões de euros até setembro

Companhia diz que vai contratar 800 novos trabalhadores, dois quais 100 são pilotos e cerca de 600 assistentes de bordo. No mesmo dia, Standard & Poor’s fixou rating da TAP no terceiro nível de “lixo”

A TAP apurou um prejuízo acumulado, nos primeiros nove meses do ano, de 111 milhões de euros. A companhia aérea liderada por Antonoaldo Neves explica que este resultado deve-se “essencialmente a variações cambiais sem impacto na tesouraria”, no entanto, excluindo esta variação cambial, o lucro líquido consolidado do grupo, no terceiro trimestre, teria sido de 61 milhões de euros positivos, “compensando em mais 50% por cento o prejuízo gerado no primeiro semestre”, revela a transportadora, em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

No terceiro trimestre, as receitas consolidadas do grupo ascenderam a 1052 milhões de euros, equivalente a um aumento de 6,1% face ao mesmo período do ano anterior, “suportado pelo crescimento do mercado norte-americano e pela recuperação do Brasil”, refere.

Já o resultado operacional consolidado do grupo TAP (EBIT) foi de 129 milhões de euros no terceiro trimestre de 2019, equivalente a 12,2% das receitas, em linha com outras empresas congéneres da Europa. No entanto, no terceiro trimestre aumentou 16,5% face a igual período do ano anterior, “refletindo a melhoria da evolução das receitas e a redução de 7% custo operacional unitário por assento quilómetro, beneficiando da entrada ao serviço dos novos NEO e do Airbus A321LR, bem como das iniciativas de ganhos de eficiência e redução de custos”. 

O número de passageiros transportados subiu 11,1% no período em análise, face aos 8,9% registados no segundo trimestre, “reforçando a tendência de recuperação”.
No final de setembro, o total de disponibilidades consolidadas do grupo TAP era de 254 milhões de euros, o que compara positivamente com 223 milhões em 31 de dezembro de 2018. 

De acordo com o mesmo documento, a companhia de aviação afirma que, para fazer face ao crescimento, vai contratar mais de 800 novos colaboradores no próximo ano, dos quais mais de 100 são pilotos e cerca de 600 serão assistentes de bordo.

No mesmo dia, a Standard & Poor’s revelou que vai passar a atribuir uma notação financeira à transportadora aérea. A nota dada à companhia é BB-, o que se situa no terceiro patamar do nível considerado “lixo”. Esta é a primeira vez que a TAP obtém um “rating” por parte de uma agência internacional e agora aguarda a atribuição de “rating” por uma segunda entidade internacional.