Desporto

Houve Taça (e de que maneira) na Sertã

O Sertanense, do Campeonato de Portugal, eliminou o Farense, líder da II Liga, depois de ficar reduzido a oito unidades

A quarta eliminatória da Taça de Portugal ainda agora começou, mas já estará encontrado um dos desfechos mais incríveis da ronda: aconteceu na Sertã e envolveu uma equipa do Campeonato de Portugal, reduzida a oito unidades, a vencer o líder da II Liga!

Até aos 88 minutos, tudo decorria dentro do esperado: o Farense vencia por 1-0, mercê do golo de Fabrício Simões à passagem da meia-hora, e mostrava mais qualidade, com o guardião brasileiro Léo Turossi a evitar mais dois ou três tentos. Ainda para mais, a equipa da casa viria a ficar reduzida a nove atletas, fruto das expulsões de Saná Gomes (51') e Ká Semedo (82'). Mas a verdade é que o Sertanense nunca desistiu e viria a receber o prémio devido com o golo de Marquinhos em cima do minuto 90.

Mesmo assim, toda a gente arriscaria apostar numa vitória dos leões de Faro - até porque, na sequência dos festejos, Doukouré viu vermelho direto, deixando os beirões com apenas oito atletas para a meia-hora que faltava jogar de prolongamento. Mas - e é por isto que o futebol é um desporto tão apaixonante - os milagres acontecem quando se trabalha por eles, e foi o que o Sertanense fez: a equipa orientada por José Bizarro (campeão do mundo de sub-20 em 1989) beneficiou de um pontapé de canto logo nos primeiros minutos do tempo extra e completou a reviravolta, beneficiando de um auto-golo de Rafael Vieira.

O Farense não mostrou argumentos para pelo menos conseguir levar a eliminatória para as grandes penalidades e tornou-se assim a segunda equipa da II Liga a cair nesta ronda, depois do Leixões (batido em casa por 4-1 pelo primodivisionário Santa Clara). Já o Sertanense garantiu assim que pelo menos cinco equipas do Campeonato de Portugal estarão presentes nos oitavos-de-final da Taça.