Internacional

Homem gasta 600 mil euros em pertences de Hitler para impedir que "cheguem às mãos erradas"

"O populismo de extrema-direita e o antisemitismo estão a espalhar-se pela Europa e pelo mundo. Não queria que estes objetos caíssem nas mãos erradas para serem usados por pessoas com intenções desonestas", afirmou o empresário ao semanário suiço Le Matin Dimache.

O empresário libanês Abdallah Chatila gastou 600 mil euros num leilão na Alemanha, realizado na semana passada, com objetos ligados ao Terceiro Reich e ao ditador alemão, Adolf Hitler. Tudo com o propósito de impedir que os objetos chegassem “às mãos erradas” e a “pessoas com intenções desonestas”.

"O populismo de extrema-direita e o antisemitismo estão a espalhar-se pela Europa e pelo mundo. Não queria que estes objetos caíssem nas mãos erradas para serem usados por pessoas com intenções desonestas", afirmou Chatila ao semanário suiço Le Matin Dimache.

Entre os objetos comprados por Chatila estão um chapéu de gala, uma cigarreira banhada a prata, uma máquina de escrever e uma edição do livro Mein Kampf, com uma capa de prata e uma suástica gravada na capa, todos eles pertences a Adolf Hitler e a líder nazistas. 

Abdallah Chatila doou todos os objetos à organização israelita Keren Hayesod, "que atua pela construção e desenvolvimento do Estado de Israle". Apesar de considerar que os artefatos nazistas "deveriam ser queimados, os historiadores pensam que devem ser guardados para a memória coletiva".