Sociedade

Câmara de Lisboa quer mais casas para vítimas de violência doméstica

Para sinalizar o Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres, centenas de pessoas saíram hoje à rua.

Paula Marques, vereadora da Habitação da Câmara Municipal de Lisboa, anunciou hoje que o objetivo da autarquia é duplicar o número de casas oferecidas às vítimas de violência doméstica - passando das atuais 30 para 58 habitações. Esta proposta, anunciada a propósito do Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres, será levada a reunião de câmara no próximo dia 5 de dezembro. 

Associações e autarquia 

À Lusa, Paula Marques explicou que, depois de aprovada a proposta, as associações de apoio às vítimas gerem, em conjunto com a Câmara Municipal de Lisboa, as habitações disponíveis, sendo estas dadas à medida que as pessoas vão precisando. 

Manifestações por todo o país

Para sinalizar o Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres, centenas de pessoas saíram hoje à rua, em vários pontos do país - como Leiria e Braga - e gritaram pelos direitos das mulheres. “Lugar de mulher é onde ela quiser”, lia-se num dos cartazes. 

Mais de 43 mil vítimas apoiadas 

Segundo a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV), entre 2013 e 2018 registaram-se mais de 100 mil crimes em contexto de violência doméstica, tendo sido apoiadas 43456 vítimas. Deste total, 86% eram mulheres e a maioria (42%) tinha entre os 26 e os 55 anos. Além disso, a APAV referiu que 16,9% foram vítimas entre dois e seis anos.