Sociedade

Alcochete. PSP detém arguido à saída do tribunal de Monsanto

Detenção terá sido motivada por desobediência do arguido

Decorreu hoje a quinta sessão do julgamento relativo à invasão de Alcochete, mas o dia ficou sobretudo marcado pelo que aconteceu fora da sala de audiências: a PSP intercetou um dos 44 arguidos à saída do tribunal. Não se sabe ainda o motivo desta detenção.

Segundo avançou o Observador, este arguido foi detido pela PSP quando saía do Tribunal de Monsanto, tendo as autoridades levado o homem de novo para dentro das instalações do tribunal.

O mesmo jornal refere que a seguir ao sucedido, alguns dos arguidos chamaram a sua advogada, Sandra Martins, que acabou por ser informada de que o seu cliente tinha sido levado para a esquadra. Ainda de acordo com o Observador, o suspeito foi identificado por desobediência. Recorde-se que esta já não é a primeira vez que as autoridades abordam um dos arguidos deste caso. Na última semana, na quinta-feira, a PSP abordou um dos arguidos por este ter sido apanhado com haxixe na sua posse. 

Ao longo do dia de hoje foram ouvidos mais dois militares da GNR e dois agentes da PSP. Durante esta quinta sessão do julgamento, mais um arguido, Guilherme Gata de Sousa, foi dispensado, depois de, na semana passada, Bruno Carvalho, antigo presidente do Sporting, e vários outros arguidos terem sido autorizados a não estarem presentes nas próximas sessões do julgamento.

Hoje ficou ainda a saber-se que a partir da próxima semana, os jogadores do Sporting começarão a ser ouvidos, segundo as datas designadas pela juíza Sílvia Pires. Já na segunda-feira, Wendel, médio dos leões, e Manuel Fernandes, antigo dirigente, serão ouvidos.