Internacional

Diretora de escola primária pede a alunos para escreverem cartas de Natal a reclusos

A decisão está a gerar polémica e os pais das crianças, mal foram informados sobre a situação, impediram a iniciativa de ir para a frente. 

Uma diretora de uma escola primária, em Blackburn, no Reino Unido, pediu aos alunos que escrevessem uma carta festiva para desejar um bom natal aos reclusos de uma prisão local, localizada a cinco quilómetros do estabelecimento de ensino.

A decisão de Colette Murray está a gerar polémica e os pais das crianças, mal foram informados sobre a situação, impediram a iniciativa de ir para a frente. “A nova diretora da escola primária Murrayfield disse às crianças que este ano deveriam escrever cartas de Natal aos reclusos, já que ela uma vez teve um amigo que foi preso injustamente. Ora, o que transparece é a ideia de que todos os que estão na prisão não fizeram nada de errado. Você deixaria o seu filho enviar um postal a um recluso sem saber que crime tinha cometido?", pode ler-se numa página da comunidade local de Blackburn.

Linda Callander comentou a publicação, onde afirmou entender que “nem todas as pessoas que estão presas merecem realmente estar na prisão”, no entanto defende que escrever cartas a idosos em lares ou cartas a sem-abrigos seria uma ideia muito melhor. “Obviamente as crianças nao deveriam enviar cartas a certas pessoas que estão presas. Está errado em todos os níveis”, acrescentou.

Por outro lado, outras pessoas apoiaram a iniciativa de Murray e dizem não perceber o porquê da reação dos pais dos alunos. “Sinceramente, não vejo porquê tanto drama! Duvido muito que as crianças enviem nomes, endereços etc.”, escreveu Stephanie Tennant. “As crianças precisam aprender que sim, algumas pessoas fazem más escolhas e isso tem consequências, uma má escolha não significa necessariamente uma má pessoa! Sim, também há exceções”, acrescentou.