Sociedade

Hells Angels. Fase de instrução continua esta quinta-feira

Os dois arguidos ouvidos disseram ter provas em como não estavam no local das agressões.

A fase de instrução do processo Hells Angels começou esta quarta-feira e o Tribunal Central de Instrução Criminal recebeu dois dos 71 arguidos que pediram a abertura desta fase judicial.

Vítor Pereira e Jorge Lourenço, os dois arguidos ouvidos ontem pela juíza Conceição Moreno garantiram que eram capazes de provar que estavam em outro local no momento em que se registaram as agressões ao grupo motard rival. Os dois suspeitos negaram ter estado no Prior Velho, em Loures, em março de 2018, e disseram ter testemunhas para confirmar. 

Os advogados - que defendem também outros motards envolvidos no caso - disseram no início da sessão que os arguidos deveriam ser ouvidos só depois da produção de prova, ou seja, depois de analisados os documentos e ouvidas as mais de 100  testemunhas. Os requerimentos para contestar a inquirição antes de ouvir as testemunhas foi entregue, mas a instrução decorreu normalmente e os dois arguidos prestaram declarações. 

“Este caso tem demasiadas pessoas e muita gente que veio ao processo não deveria estar aqui, isso é absolutamente injusto”, disse Túlio Araújo, advogado de Jorge Lourenço, à saída do tribunal. 

A fase de instrução continua esta quinta-feira e serão ouvidos mais dois arguidos. O objetivo é ouvir dois arguidos por sessão, tendo Conceição Moreno agendado sessões até 19 de dezembro. Das 84 pessoas acusadas, 71 pediram abertura de instrução e, recorde-se, existem ainda mais cinco arguidos cujos processo correm em separado do processo principal.