Cultura

“Retórica anti-LGBTQ+” leva Hungria a abandonar Eurovisão

Porta-voz de Orbán diz que história das razãoes são 'fake news', no entanto não apresentou justificação para a não participação do país no festival.

A Hungria anunciou que não irá participar na edição de 2020 do festival da Eurovisão e, segundo o Guardian, citando uma fonte da estação de televisão pública húngara, MTVA, esta decisão poderá estar relacionada com a “retórica anti-LGBTQ+” do Governo do primeiro-ministro Viktor Orbán.

Um porta-voz do político afirmou que esta história não passava de fake news, mas não especificou nenhuma razão para a não participação da Hungria.

A MTVA, que respondeu por escrito ao Guardian, disse que em vez de participar na Eurovisão em 2020 vai “apoiar diretamente as valiosas produções criadas pelos talentos da música pop húngara”.