Vida

A emotiva mensagem de Ana Bola para Maria Rueff: “Não aguentávamos ficar sem a Maria pessoa, nem sem a Maria talento”

Maria Rueff teve de ser submetida a uma angioplastia coronária -  cirurgia que permite desbloquear uma artéria obstruída do coração.

Ana Bola, que é uma das melhores amigas de Maria Rueff, não ficou indiferente ao susto que a amiga apanhou no seguimento do enfarte agudo do miocárdio e deixou uma mensagem sentida.

"Até agora estive caladinha. Até passar o susto. Fiz com a Maria o que ela sempre fez comigo. Em situações de doença, luto ou outras 'grandes chatices',a Maria sempre me protegeu da exposição pública que eu não queria. Agora que o susto foi com ela, limitei-me a respeitar a sua intimidade (não há para mim coisa mais íntima,do que estar doente/diminuído). Hoje, com a voragem das redes sociais e da imprensa é muito difícil manter esse resguardo. Acredito que a Maria tivesse gostado de viver este susto apenas com a sua família e os seus amigos. Mas não foi assim. Desta situação, felizmente ultrapassada,t iro o lado positivo. A enorme exposição a que a minha amiga foi sujeita deu-lhe, por outro lado, a dimensão do enorme apreço que os portugueses têm por ela. A Maria, sendo uma pessoa frágil, tem às vezes duvida que gostem dela desta   maneira (é muito estranho mas é verdade)", começou por escrever Ana Bola.

A atriz ainda destacou o facto de ter sido a própria filha de Maria Rueff, Laura, a salvar a vida da mãe: "Agora que está tudo bem, será também tempo de reflexão para a Maria e até para nós. Não admitimos perdê-la, nem perder-nos a nós e nunca mais a podermos ver. Ainda temos muita manicura para 'aviar' e estou até já a pensar que podemos vir a ter um corner de arrancar sobrancelhas com um fio (tarefa fascinante). Não aguentávamos ficar sem a Maria pessoa, nem sem a Maria talento. A Laura, a linda filha da Maria, que literalmente a salvou, nunca me enganou. Conheci a Laura no dia que nasceu. Comecei a observá-la nesse dia. Mais tarde e ainda criança, quando a mãe e eu passávamos tardes a morrer a rir com os nossos disparates, olhou séria para nós e perguntou do alto do seu metro e 115 : 'Olhem lá, vocês não tencionam crescer nunca?'. Nesse dia percebi que a Laura era muito mais que uma criança esperta e dotada. A Laura nunca me enganou. A Maria também não. Sempre foi e será uma sobrevivente,como agora se viu. Louvada sejas, Maria.E como a Laura também disse um dia, somos BFF (best friends forever) . Amo-te, Miga".