Sociedade

Responsáveis da Capital do Natal culpam as “falsas expectativas” criadas pelas agências de viagens

Onda de descontentamento já levou à criação de uma petição para encerrar Capital do Natal

A inauguração da Capital do Natal, em Algés, concelho de Oeiras, foi na sexta-feira passada, mas em apenas três dias de funcionamento o espaço tem vindo a colecionar comentários negativos e há até quem peça o reembolso ou tenha feito uma petição para fechar o parque por publicidade enganosa. O caso ganhou tamanhas proporções que até já virou notícia em Espanha.

Entretanto, a Christmas Fun Park, entidade responsável pela organização do evento, já reagiu atribuindo responsabilidades “às falsas expectativas” criadas por “blogues e agências de viagem” que “veicularam informação incorreta sobre o evento, sem terem confirmado ou validado essa informação”, destacando ainda que a situação é “completamente alheia” à organização do evento.

 

Leia o comunicado na integra:

Na sequência das notícias veiculadas a propósito das queixas de visitantes que acusam a “Capital do Natal” de fraude e publicidade enganosa, a Christmas Fun Park, entidade responsável pela organização do evento, esclarece:

- Após o fim-de-semana e depois de termos tomado contacto com os comentários que recebemos nas redes sociais, analisámos a informação e tomámos conhecimento que algumas entidades em Espanha, como blogues e agências de viagem, veicularam informação incorrecta sobre o evento, sem terem confirmado ou validado essa informação connosco. Esta situação, completamente alheia à nossa organização, já está a ser analisada pelos nossos representantes jurídicos para a necessária avaliação de responsabilidades.

- Esta acção acabou por criar falsas expectativas a alguns visitantes e afetou negativamente a sua experiência no parque, o que deu origem a um conjunto de queixas e comentários negativos nas redes sociais. Enfatizamos contudo, que recebemos também muitos comentários positivos e que esta situação não afetou, a venda de bilhetes. No passado domingo dia 1, registámos uma afluência 30% superior ao dia anterior.

- Trata-se do primeiro ano que estamos a realizar este evento e até ao último dia, continuaremos a melhorar ainda mais a experiência dos nossos visitantes. Relativamente às filas, num parque temático que acolhe diariamente milhares de visitantes por dia, consideramos normal a existência de tempos de espera. Vamos, obviamente, continuar a procurar optimizar a forma como o público acede aos equipamentos, de forma a haver uma maior fluidez e a acelerar o processo de entrada nas atracções e a experiência dos visitantes.

- Em relação ao preço dos bilhetes, considerando o posicionamento deste evento, de Parque Temático de Natal com um espectáculo imersivo, optámos por disponibilizar às pessoas um passaporte que inclui a entrada em todas as atracções, sem qualquer limite de utilizações. De sublinhar ainda a qualidade dos conteúdos produzidos, únicos e nunca antes realizados em Portugal, como o espectáculo de luzes do lago central, o Palácio dos Guardiões da Neve (com a recreação do círculo polar ártico), a Montanha do Vento Corajoso (com 12 pistas de snowtubbing).

- Refutamos ainda as acusações de más condições para os animais no recinto, já que as renas, tal como todo o Parque, estão devidamente licenciadas pelas autoridades competentes. As renas pertencem, de resto, à entidade “Burros do Magoito”, uma entidade idónea e fidedigna, conhecida pelo tratamento exemplar que dá aos seus animais.

- Por fim, a Capital do Natal esclarece que está a responder individualmente a todas as queixas e comentários negativos e a avaliar as formas possíveis de resolver as situações reportadas.

A todos um Bom Natal.