Vida

Maria João Luís recorda cheias de 1967: “Ficou-me o trauma. Era um cheiro a lama, a podre, a morte"

Atriz revelou que mais de 30 pessoas da sua família morreram.


Maria João Luís foi convidada de Cristina Ferreira, na SIC, esta quinta-feira. A atriz recordou as cheias de 1967 e revelou que morreram mais de trinta pessoas da sua família.

Na altura com quatro anos e a viver em Alhandra, a artista lembra que o acontecimento, que destruiu mais de vinte mil casas e fez mais de 400 vítimas mortais, ainda hoje é um “trauma”.

“Ficou-me o trauma daquela noite, é muito estranho uma criança de quatro anos se lembrar daquele momento como eu ainda hoje o recordo”, disse Maria João, n’O Programa da Cristina.

“Uma das coisas que não me esquece efetivamente é do cheiro.  Um cheiro a lodo, a lama e a podre, um cheiro a morte”, recordou.

A atriz, de 54 anos, acabou por falar da perda de familiares e garante que não esquece a imagem do pai naquela noite.

“Eu lembro-me da noite, lembro-me de ver o meu pai na sala com a cabeça entre as mãos, é quase uma fotografia sabes?(…) Morreu a minha avó, um tio, uma tia, morreram muitos primos diretos e indiretos, a minha mãe falava de trinta e tal pessoas da minha família”, contou.