Internacional

Duas das pessoas que travaram o atacante na ponte de Londres já tinham sido condenadas por homicídio

Um dos condenados era amigo de Jack Merrit, uma das vítimas mortais.

Um dos homens que perseguiu e ajudou a reter o atacante da Ponte de Londres, que, no passado dia 29, esfaqueou mortalmente duas pessoas, era John Crilly, condenado, em 2005, pelo homicídio de Augustine Maduemezia. O homem de 48 anos encontrava-se no local para participar numa conferência de reabilitação de condenados, razão pela qual também James Ford, um outro condenado que ajudou na captura do atacante, estava na Ponte de Londres.

John Crilly era amigo de Jack Merrit, uma das vítimas mortais. Conheceram-se, segundo o jornal britânico The Sun, na prisão, quando Merrit era seu mentor num programa de reabilitação de reclusos. Crilly chegou, inclusive, a ir à cerimónia de fim de curso de Jack Merrit, em setembro, quando este terminou o curso de advocacia.

O homicida em liberdade condicional, que se tornou um ‘herói’ nesta história, ajudou a reter Usman Khan quando lhe bateu com um extintor. É possível, nas imagens, ver Crilly a cobrir o atacante com o produto do interior do extintor.

Recorde-se que Usman Khan, que já era conhecido das autoridades, esfaqueou cinco pessoas na Ponte de Londres, no passado dia 29. Devido aos  ferimentos, duas das vítimas acabaram por morrer.