Sociedade

Agente que criticou presença de André Ventura na manifestação alvo de processo disciplinar

Manuel Morais disse, pouco depois da manifestação dos polícias, ter "nojo" da participação do deputado do Chega.


A PSP abriu um processo disciplinar contra o ex-sindicalista Manuel Morais, agente do Corpo de Intervenção, que criticou a participação do deputado do Chega, André Ventura, na manifestação de elementos da PSP e da GNR em novembro.

 “O Sr. Agente Principal Manuel Morais tem em curso um procedimento disciplinar, na fase de averiguações, por reporte de comportamento suscetível de violar a disciplina e deontologia dos profissionais da PSP”, confirmou fonte oficial da PSP ao Diário de Notícias, que está a avançar a informação.

Recorde-se que Manuel Morais, que se demitiu da Associação Sindical de Profissionais de Polícia depois de ter denunciado casos de racismo na PSP, criticou acerrimamente a presença de André Ventura no protesto dos polícias.

“Senti nojo. Houve um assalto de Ventura à manifestação, o que não é admiração para ninguém atento”, disse na altura Manuel Morais, em declarações ao Expresso.

Sublinhe-se que os polícias estão proibidos, pelos estatutos, de “fazer declarações que violem” a “isenção ideológica e partidária” a que estão obrigados. A PSP está por isso a avaliar se as declarações de Manuel Morais violam este princípio deontológico.

Os comentários estão desactivados.